Publicidade

Se for preciso, estamos prontos para lutar contra o Hezbollah, diz ministro de Israel

“Preferimos um acordo, mas se a realidade nos forçar, saberemos como lutar”, afirmou uma declaração emitida pelo gabinete de Yoav Gallant





Se for preciso, estamos prontos para lutar contra o Hezbollah, diz ministro de Israel

Por:Jornal NC - Publicado em 03/07/2024

O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, disse, nesta quarta-feira (3), que as forças israelenses estarão prontas para tomar qualquer ação necessária contra o grupo libanês Hezbollah, embora a preferência seja chegar a um acordo negociado. “Estamos atacando o Hezbollah com muita força todos os dias e também chegaremos a um estado de prontidão total para tomar qualquer ação necessária no Líbano, ou para chegar a um acordo a partir de uma posição de força”, disse Gallant em uma declaração emitida por seu gabinete. “Preferimos um acordo, mas se a realidade nos forçar, saberemos como lutar”, concluiu. Israel avança para fim da fase de destruição das capacidades militares do Hamas, diz Netanyahu.

Veja Também: Tentativa de golpe na Bolívia: especialistas explicam crise no país

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira (1º) que Israel estava se aproximando de seu objetivo de eliminar as capacidades militares do Hamas, o grupo militante que governa Gaza e liderou o ataque de 7 de outubro a Israel, que desencadeou a guerra. As operações menos intensas continuariam, segundo o líder de Israel. “Estamos avançando para o fim da fase de eliminação do Exército terrorista do Hamas, e haverá uma continuação para atacar seus remanescentes”, afirmou Netanyahu, de acordo com uma declaração de seu gabinete. Na manhã desta segunda-feira (1º), o grupo militante Jihad Islâmica disparou uma série de foguetes contra Israel enquanto os combates aconteciam em Gaza e os tanques israelenses avançavam cada vez mais em partes do enclave, disseram residentes e autoridades.

A guerra começou quando combatentes liderados pelo Hamas invadiram o sul de Israel em 7 de outubro, mataram 1.200 pessoas e levaram cerca de 250 reféns, a maioria civis, de volta a Gaza, segundo registros israelenses. A ofensiva lançada por Israel em retaliação matou quase 38 mil pessoas, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, e deixou em ruínas o enclave fortemente urbanizado. Os esforços dos mediadores árabes para garantir um cessar-fogo, apoiados pelos Estados Unidos, foram paralisados. O Hamas diz que qualquer acordo deve pôr fim à guerra e provocar a retirada total de Israel de Gaza. Israel diz que aceitará apenas pausas temporárias nos combates até que o Hamas seja erradicado

Curta nossa Fanpage no Facebook

Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade

Mais Notícias


  • Nacional, Nacional
  • Doações fazem comércio gaúcho crescer mais que média nacional
  • Vendas no estado tiveram alta de 1,8% em maio, aponta IBGE

  • Publicado em 12/07/2024

  • Internacional, Internacional
  • ONG denuncia graves abusos e torturas de prisioneiros palestinos
  • Denúncias surgem depois de o Supremo Tribunal de Israel ter recebido uma petição exigindo o encerramento do centro de detenção de Sde Teiman

  • Publicado em 12/07/2024

  • Especiais, Especiais
  • Câmara aprova texto-base da reforma tributária com trava no IVA
  • Inclusão de carnes na cesta básica foi aprovada em destaque

  • Publicado em 12/07/2024

  • Política
  • Centro gestor alerta para seca severa este ano na Amazônia
  • Efeitos mais imediatos podem afetar navegabilidade nos rios

  • Publicado em 03/07/2024


Publicidade

Contato




Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.



Publicidade

©2014 2019 - Jornal NC. Todos os direitos reservados