Publicidade

PEC da Anistia a partidos gera impasse entre Câmara e Senado

Parlamentares articulam Refis para as siglas e novas regras de distribuição de recursos de campanha





PEC da Anistia a partidos gera impasse entre Câmara e Senado

Por:Jornal NC - Publicado em 20/06/2024

A votação de uma mudança constitucional para beneficiar partidos que descumpriram as cotas para mulheres e negros em eleições passadas ameaça criar um novo impasse entre a Câmara dos Deputados e o Senado. Apresentada no ano passado e já alvo de controvérsia, a PEC voltou a ser incluída na pauta do plenário da Câmara. A proposta surgiu como forma de anistiar as siglas que não lançaram o número mínimo de candidaturas femininas nem distribuíram os recursos do fundo eleitoral proporcional aos postulantes pretos e pardos, como determinado por resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 2024, os partidos vão receber quase R$ 5 bilhões para financiar as campanhas.

Nas versões do texto em discussão na Câmara, a anistia atingiria o não cumprimento de valores mínimos para candidaturas de pessoas negras. Está em discussão a criação de um Refis para os partidos regularizarem débitos futuros, semelhante aos já aprovados no passado para contribuintes em dívida com a Receita Federal. Após reunião do colégio de líderes, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), incluiu a PEC na pauta e afirmou aos colegas que só faria isso se houvesse garantias de que o Senado também apreciaria o texto, depois de aprovado pelos deputados — por se tratar de PEC, são necessárias duas votações em cada Casa e aprovação de 308 deputados e 49 senadores. Entretanto, interlocutores do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), negam haver qualquer acordo nesse sentido — no ano passado, houve resistência na Casa à proposta. Dirigentes partidários defendem nos bastidores aprovar a PEC antes das eleições municipais, para distribuírem os recursos deste ano já com novas regras, como a que prevê repasse de no mínimo 75% dos recursos para mulheres e negros até 25 dias antes do primeiro turno.

Veja Também: Taxação de importação até US$ 50 e Projeto Mover vão à sanção

O relator da PEC na Câmara, deputado federal Antonio Carlos Rodrigues (PL-SP), só deve apresentar o texto final quando receber aval de Lira, após uma sinalização de que Pacheco colocará a proposta em discussão no Senado. Enquanto não houver esse “sinal verde”, seguirá a articulação nos bastidores.

Curta nossa Fanpage no Facebook


Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade

Mais Notícias


  • Nacional, Nacional
  • Doações fazem comércio gaúcho crescer mais que média nacional
  • Vendas no estado tiveram alta de 1,8% em maio, aponta IBGE

  • Publicado em 12/07/2024

  • Internacional, Internacional
  • ONG denuncia graves abusos e torturas de prisioneiros palestinos
  • Denúncias surgem depois de o Supremo Tribunal de Israel ter recebido uma petição exigindo o encerramento do centro de detenção de Sde Teiman

  • Publicado em 12/07/2024

  • Especiais, Especiais
  • Câmara aprova texto-base da reforma tributária com trava no IVA
  • Inclusão de carnes na cesta básica foi aprovada em destaque

  • Publicado em 12/07/2024

  • Política
  • Centro gestor alerta para seca severa este ano na Amazônia
  • Efeitos mais imediatos podem afetar navegabilidade nos rios

  • Publicado em 03/07/2024


Publicidade

Contato




Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.



Publicidade

©2014 2019 - Jornal NC. Todos os direitos reservados